NAUFRÁGIO
ARIADNE PANDELLIS
 
Histórico:
Construido para a Companhia Hain Steanship Company o Ariadne Pandellis foi inicialmente batizado de Boyle. Passava pelo Brasil com uma carga 6000 toneladas de carvão embarcada na Polônia e com destino ao Uruguai.
Ao passar em frente ao litoral da Bahia inrrompeu um incêndio nas carvoaria de bombordo que tornou-se incontrolável, por isso o comandante mandou arribar à Salvador.
Após diversas tentativas de apagar o incêncio que continuava descontrolado foi decidido encalhar o navio fora do porto para não por em risco outras embarcações.
O Ariadne Pandellis
, com o auxílio dos rebocadores Tomé de Souza e Netuno, foi levado até a costa de Itaparica. Após uma explosão, decidiu-se alagar os porões para apagar o incêndio e a
tripulação abandonou o navio. O vapor adernou deixando fora
 

Ponta da cidade de Itaparica, com a posição do naufrágio
 
 

d'água apenas o bordo de boreste e o mastro que permaneceu inclinado quase a flor d'água
O comandante Atanásio Eugenides não retornou ao navio nem mesmo para providenciar o salvamento da carga. cuidou apenas do recebimento do valor do seguro.
Na década de 80 o navio foi dinamitado a mando da Marinha do Brasil, pra que próximo do local onde estava o casco semi submerso fosse ativada uma central de desmagnetização de navios, presentes no local até hoje.

 

Hoje, o local do naufrágio é assinalado por uma bóia amarela e está bem próxima ao costão, em frente ao hotel Icaraí.

 

DADOS BÁSICOS

Nome do navio: Ariadne Pandellis

Data do afundamento: 17.06.1936

LOCALIZAÇÃO

Local: Itaparica

UF: BA.

País: Brasil

Posição: Na costa, em frente ao Hotel Icaraí, marcado por bóia amarela.

Latitude: 12░ 52' 866 Sul.

Longitude: 038░ 41' 189 West

Profund. mínima: 2 metros

Profund. máxima: 6 metros
DADOS TÉCNICOS
Nacionalidade: Grega
Armador: Hain Steanship Company Limited.
Tipo de embarcação: Cargueiro a vapor
Material do casco: ferroSem ropulsão

Tonelagem: 4445 T.

Carga: 6.200 toneladas de carvão.
CONDIÇÕES ATUAIS: desmantelado
Foi explodido e parcialmente removido na década de 80.
MOTIVO DO AFUNDAMENTO: Encalhe
 

 

Descrição:
Depois do desmanche com explosivos feito a mando da Marinha do Brasil na década de 80, pouco restou no fundo. Apenas algumas chapas soltas, parte da popa e cavernas sobre o fundo de areia. A profundidade não chega a atingir 6 metros.