NAUFRÁGIO RELIANCE
 

Histórico

O vapor Reliance foi construído em Ferro em 1883 e pertencia a companhia U S & Brazil Mail S S Co.
Em sua quarta viagem para o Brasil, deixou o porto do Rio de Janeiro com uma carga principal de 5773 sacas de Café com destino à Nova York e escala em Salvador.
Segundo o comandante o Reliance: após chegar a Salvador no dia anterior o paquete de saída transpôs a barra da Baía de Todos os Santos ás 18:20 horas, com grande cerração e chuva torrencial. Meia hora depois, o navio foi arrastado repentinamente e encalhou no local denominado Ponta das Quintas, entre o Farol da Barra e São Lazaro (hoje morro do Cristo).

 
 
 

DADOS BÁSICOS

Nome do navio: Reliance

Data do afundamento: 12.04.1884

LOCALIZAÇÃO

Local:Salvador

UF:BA.

País:Brasil

Posição: Canto da Praia de Barra Vento, junto ao morro do Cristo.

Latitude:13░ 00' 39" Sul

Longitude: 038░ 31' 30" West

Profund.mínima: 05 metros

Profund.maxima: 09 metros
CONDIÇÕES ATUAIS: desmantelado
 
DADOS TÉCNICOS
Nacionalidade: Americana
Ano de Fabricação: 1883
Armador: U S & Brazil Mail S S Co.
Estaleiro: Delaware River Iron SB&C.
Tipo de embarcação: Paquete
Material do casco: ferroPropulsão: hélice

Carga: 5773 sacas de café.

MOTIVO DO AFUNDAMENTO: Encalhe

 
Naufrágio

Às 19:00 horas os tripulantes sentiram o primeiro choque contra o fundo e embora tenham trabalhado para safar o paquete, não obtiveram resultado.
Um segundo choque, mais forte, que abriu quase cinco metros de rombo na proa, aterrorizou os passageiros, que produziram um tumulto a bordo, subindo ao tombadilho a procura de meios de salvação.
Com pequena demora, foram arriados os escaleres que em um quarto de hora depois do abalroamento já conduziam os passageiros até a praia, através da cerração e chuva que reinavam. O desembarque ocorreu quase sem incidentes, com um dos escaleres sendo jogado pelas ondas de encontro as rochas.
As 21:00 horas já estavam em terra todos os passageiros ficando a bordo do Reliance apenas os oficiais, alguns marinheiros e guardas da alfândega. As malas do correio e bagagens desembarcaram na manhã do dia 18. Uma vistoria no Reliance verificou haver a bordo quase seis metros de água o que condenou o navio.
A agência ofereceu passagens em outro vapor para os passageiros que seguiam para Pernambuco e apenas parte da carga pode ser salva.
 

Biela do pistom das máquinas
Descrição:
O naufrágio conhecido como Reliance, está afundado junto ao Morro do Cristo, no canto da Praia de Barlavento.
O navio parece estar partido logo a frente das máquinas, não existindo registros da meia nau e proa. Partes dos cavernames são vistos junto do costão do Morro do Cristo seguindo paralelamente à praia a profundidade de cerca de 5 metros.
 

 


Máquinas de dupla expansão

 

No meio dos destroços encontramos duas caldeiras caídas quase de cabeça para baixo, com cerca de 4 metros de diâmetro e corroídas em diversos pontos.
Seguindo-se mais para a esquerda de quem olha a praia encontramos as máquinas, do tipo Duble Expansion Engine, ela encontra-se caída de lado, mostrando todo o sistema de engrenaens e girabrequins.
Continuando-se ainda mais para a esquerda, encontramos na popa do vapor ainda desenterradas, parte do casco, com o arco do leme e uma das pás do hélice. Também na popa pode ser visto o volante do leme, projetando-se em direção à superfície.
Nos dois bordos existe parte do cavername além de outros destroços.

 
 


Caldeira parcialmente corroída


Cardume dentro das caldeiras
 

 
Agradecimentos ao Gilson Galvão, da Bahia Scuba pelas belas fotos e apóio na operação.
 

 

Maquínas a vapor do tipo  Duble Expansion engine Hélice e arco do hélice Eixo excêntrico