NAUFRÁGIO D.N.O.G.
 
Histórico
Construído em 1919 originalmente como um rebocador de alto-mar, foi batizado como TEATH. Vendido ao Brasil atuou como navio auxiliar, assim como seus sister ships. Heitor Perdigão, Muniz Freire, Mario Alvez, Lahmeyer. O Guarani teve o mesmo destino e afundou ao largo da Ilha Bela em 04.10.1923 devido a um choque com o vapor Borborema, matando 31 pessoas entre oficiais e guarda Marinhas. O Laurindo Pitta, outro sister ship ainda navega, e hoje está em serviço como navio museu no Rio de Janeiro. - O Laurindo Pita foi totalmente restaurado em 1999, sendo mantidas as linhas originais, mas substituídas às máquinas a vapor por motores a diesel).
O D. N. O. G. foi batizado em homenagem a Divisão Naval de Operações de Guerra. Esta divisão da

Marinha do Brasil, sob o comando do Almirante Pedro de Frontin, tomou parte em 1916 na Primeira Guerra Mundial, atuando nas águas da África e Europa. O nome foi mantido em homenagem a essa Divisão da Marinha.

D.N.O.G. o navio afundou duas vezes
 

Laurindo Pitta - restaurado no Rio de Janeiro

DADOS BÁSICOS

Nome do Navio: D.N.O.G.

Data do afundamento: 12.07.1942

LOCALIZAÇÃO

Local: Ilha Grande

UF: RJ.

País: Brasil

Posição: Saída do Canal da Marambaia.

Latitude: 23 07' 44" sul

Longitude: 044 01' 59" west

Profundidade mínima: 23 metros

Profundidade máxima: 27 metros
DADOS TÉCNICOS
Nacionalidade: Brasileira
Ano de Fabricação: 1919
Armador: Marinha do Brasil
Comprimento:40,5 metros Boca: 9 metros Calado: 4,2 metros
Deslocamento: 870 toneladas
Tipo de embarcação: rebocador
Material do casco: aço Propulsão: hélice
CONDIÇÕES ATUAIS: enterrado.
 
Informações
Em 19 de junho de 1939 bateu na laje chata no interior da baía da Ilha Grande, RJ. e foi a pique nas proximidades das Ilhas Botinas. Em 20 de julho de 1942, foi removido para a enseada da Fazenda, na Ilha da Gipóia, a fim de ser tentado seu salvamento. O naufrágio conhecido como Quadrado da Gipóia, pode ser parte das obras vivas do D.N.O.G. abandonado no local.
No dia 12 de Julho de 1942, iniciou-se a tentativa de reboque para o Rio de Janeiro, com o objetivo de futuros reparos. O D. N. O. G, foi suspenso por funda, e lentamente navegou a reboque pelo canal entre a Ilha Grande e o continente até saída norte da Baía da Ilha Grande.
O tempo piorou e o mar ficou grosso. Possivelmente por entrada de água pelas fendas do casco, acabou indo a pique bem na saída da baía, nas proximidades da Ponta Alta (Grossa) da Marambaia.


Segundo os engenheiros de dragagem do porto de Sepetiba, o navio está posicionado ao lado do canal dragado de navegação. Costuma ser identificado no sistema de sonda das dragas e está parcialmente enterrado pela areia varrida pelos navios que passam pelo local com pouco menos de 5 metros de lâmina d'água abaixo da quilha.