NAUFRÁGIO REBOQUE
 
Histórico
Durante muitos anos, a história contada sobre este navio era de que teria sido torpedeado durante a Segunda Guerra, porém, os destroços não mostravam marcas de ter sofrido o impacto de torpedos. Existiam registros para o nafrágio em 1908, que também mostravam-se inconclusivos.

Em 1999 mergulhadores de Recife, localizaram uma peça da caldeira com um nome Florida gravado nele. A partir deste nome pode ser feita uma pesquisa que permitiu a identificação positiva do naufrágio.
Segundo o Jornal Diário de Pernambuco, 30.06.1917. "O rebocador Florida foi construído em 1908 para a empresa Wilson Sons & Co. de Londres.
Ele regressava a Inglaterra, comprado pelo governo Inglês, devido a necessidade de navios gerada pela Primeira Guerra Mundial.
Partiu de Buenos Aires, com escala em Fernando de Noronha, quando entrou em uma forte tempestade com mar grosso e ondas altas.
Uma forte onda atingiu a embarcação, que já muito pesada, adernou e afundou rapidamente. Dos 11 tripulantes apenas 5 sobreviveram.

 

A proa permanece imponente, apoiada sobre o fundo
 

DADOS BÁSICOS

Nome do navio: Florida

Data do afundamento: 28.06.1917

LOCALIZAÇÃO

Local: Recife

UF: PE.

País: Brasil

Posição:14 milhas do Porto de Recife.

Latitude: 08 01.034' Sul

Longitude: 034 41.770' West

Profund. mínima: 30 metros

Profund. máxima: 33 metros

MOTIVO DO AFUNDAMENTO: mau tempo

DADOS TÉCNICOS
Nacionalidade: Inglesa
Ano de Fabricação: 1908
Estaleiro: Cox & Co. (Farmounth - Inglaterra).
Comprimento: 50 metrosBoca: 8 metros
Deslocamento: 77 Toneladas Tipo de embarcação: rebocador
Material do casco: aço Propulsão: hélice
Carga: Carvão de Pedra.

CONDIÇÕES ATUAIS: semi-inteiro

 

 
Descrição

O Reboque encontra-se pousado corretamente no fundo. Sua linha geral mantém ainda uma integridade até o nível mais elevado do casco.
Na popa do navio pode ser encontrado o hélice de quatro pás e o leme, ao nível do convés existe parte da estrutura do comando do leme.

 
No meio da embarcação existem
O banheiro do Reboque ainda pode ser observado no nível do convés.
dois grandes rombos ao lado das máquinas.
 
No meio do Reboque encontramos sua máquina a vapor ainda na posição correta; ela se revela do tipo Duble Expansion Engine.
A cerca de 5 metros das máquinas está a caldeira; seu diâmetro ocupa toda a boca da embarcação.
A frente da caldeira o casco está pouco conservado com passagens entre o cavername.
Dois metros à frente da caldeira, junto da borda de bombordo pode ser visto o que sobrou de um banheiro, com os restos das paredes, o vaso sanitário e até sua tubulação. No castelo de proa ainda existe o guincho em sua posição normal. Ao longo dos bordos estão os cabeços de amarração. No meio da popa, pousado sobre a quilha está um hélice reserva.
 

Visão da Proa com a caldeira em destaque
 

Visão da Popa, com hélice reserva visível
 
Volante do leme Cabeço-de-amarração Hélice reserva Máquinas duble Expansion engine Banheiro Cabeço-de-amarração Guincho de proa Reforço de proa Caldeira
 
Em janeiro de 2009 verificou-se que a âncora, tipo almirantado, que existia junto ao rombo da lateral de bombordo foi removida do local e desapareceu. Não é certo que a âncora pertencia originalmente ao Florida, porém, ela já se encontrava no local, pelo menos desde 1993, quando nossos primeiros registros gráficos do naufrágio foram feitos. A âncora não poderia ter sido retirada acidentalmente, o que indica o furto com consequente perda do patrimônio subaquático.
 
 
O guincho de proa se destaca sobre o convés.
 
Máquina a vapor de dupla expansão.
 
 
Parte da grande caldeira no centro dos destroços.
 
O hélice e leme permanecem em suas posições.
 

 
 
Apoio