NAUFRÁGIO LUPUS
 
Histórico:
Após um ano de preparação, o mergulhador Joel Calado, proprietário da escola de mergulho Projeto Mar de Recife, conseguiu um grande feito; o afundamento simultâneo de três rebocadores. Tudo feito de forma oficial e com todas as autorizações necessárias.
A equipe do Projeto Mar coordenou o evento no qual também participaram o Corpo de Bombeiros, o Ibama, a Capitania dos Portos de Pernambuco.
O Projeto Mar arcou com cerca de R$ 13.000,00 pagos a empresa Wilson & sons, dona dos três rebocadores, Servemar X, Minuano e Lupus.
Os rebocadores foram limpos de contaminantes, eliminando vestígios de óleo e outras substâncias quaisquer que pudessem se desprender e poluir o mar.
Com o amanhecer do dia lentamente um
 
rebocador da Wilson & sons rebocou os três irmãos em sua última viagem, em direção ao local previamente escolhido, devido a suas correntes marinhas, profundidade e marés.
Afundado o Servemar X e o Minuano, o terceiro e maior dos rebocador foi o Lupus.
Aberta as válvulas, 02:30 horas se passaram sem que o rebocador afundasse.
 
Temendo o entardecer, a equipe optou por empurrar pelo bordo o Lupus com outro rebocador, de forma que o navio adernasse e a água penetrasse no casco com mais velocidade. O artifício funcionou e em pouco tempo o Lupus afundou, pousando a cerca de 36 metros.
 

DADOS BÁSICOS

Nome do navio: Lupus

Data do afundamento:18.01.2002

LOCALIZAÇÃO

Local: Recife

UF: PE.

País: Brasil

Posição: A a 11,7 milhas da costa da praia de Boa Viagem, Recife.

Latitude: 08 09.791' Sul

Longitude: 034 42.328' West

Profund.mínima: 30 metros

Profund. máxima: 36 metros

MOTIVO DO AFUNDAMENTO: Acidentes Diversos

DADOS TÉCNICOS
Nacionalidade: Brasileira
Ano de Fabricação: 1955
Armador: Wilson & Sons (Saveiros, Camuyrano S.A.).
Estaleiro: EMAQ. (Rio de Janeiro).
Tipo de embarcação: R ebocador
Comprim.: 33,45 metrosBoca:7,3 metros
Calado: 2,6 metrosDeslocamento: 29,08 toneladas
Material do casco: açoPropulsão: Motor diesel
Carga: vazio

CONDIÇÕES ATUAIS: Inteiro

 


O sistema de gato do rebocador
permite o reboque e a mudança de
direção do rebocador, ajustando o
cabo de tração a direção da manobra.

A chaminé de boreste, ainda inteira.


As duas máquinas a díesel ainda em
suas posições no interior da
sala de máquinas.
 

 
Descrição:
O Lupus está apoiado sobre a quilha. Na proa existe um grande reforço utilizado para empurrar outros navios e dois cabeços de amarração. Ainda pode ser lido no casco o nome da embarcação.
A cabine de proa, no convés, possui duas portas ligando-se com uma sala. Deste compartimento podemos descer por uma escotilha para o porão de proa. Não há escadas e o porão está totalmente no escuro. Outra escotilha liga esta sala com a cabine de comando acima dela.
   


Na popa livre, apenas os suportes
de proteção do cabo de reboque
Interior do convés de proa
Vista das chaminés e casario
 

 
Na cabine de comando podem ser vistos os restos do comando do leme e painéis elétricos.
Atrás da cabine de comando, existem duas chaminé foi retirada juntamente com as máquinas, permanecendo um grande abertura onde ela estava posicionada. No casario do convés existem duas portas que dão origem a outros compartimentos vazios.
No convés de popa uma grande abertura da passagem a casa de máquinas, dentro dela podem ser vistos os dois grandes motores diesel. Junto a popa duas escotilhas comunicam o convés com o porão de popa. A popa está amassada, pois o navio chocou-se no fundo com essa parte.
O hélice e o leme estão corretamente posicionados no fundo. Apesar de naufrágio intencional o Lupus guarda intacta toda sua estrutura e as principais peças.
 


Motor diesel de boreste.

 
Em outubro 2007 a parede posterior da cabine de comando havia cedido e oscilava perigosamente com a corrente
- na foto acima, verifique a marca do arraste no chão indicada pela seta vermelha.
Estruturas frágeis como essa são um perigo em potencial para o mergulhador não treinado e podem aparecer a qualquer momento no naufrágio dependendo dos fatores de desmanche presentes, por isso o treinamento é fundamental.
 
 
Interior da cabine de comando em 2003
Interior da cabine de comando em 2007
Hélice e leme intactos.
 

Agradecimentos
Joel Calado e equipe
Agradecimentos

 

Cabeço-de-amarração Cabeço-de-amarração Cabeço-de-amarração Gato de reboque Cabine de comando Salas internas amplas e passagem para os dois bordos Entrada da sala de máquinas estreita, mas a sala é ampla