NAUFRÁGIO TAURUS
 
Histórico
O Taurus, da empresa Wilson, sons, era um pequeno rebocador, mas com grande capacidade de manobra principalmente em portos apertados, deviso ao seu sistema de hélice giratório dentro de ducto.
Atuou em portos como Suape e Recife, PE. onde em 2003, durante uma manobra na boca da barra naufragou, permaneceu assim

 
por alguns dias. Uma operação de resgate trouxe o rebocador de novo a superfície. Após o Naufrágio, devido aos estragos e ao longo tempo de uso, o rebocador foi descomissionado, encostado no porto de Recife onde foi desequipado e finalmente doado ao projeto de recifes artificiais.  
 

DADOS BÁSICOS

Nome do navio: Taurus

Data do afundamento: 03.05.2006

LOCALIZAÇÃO

Local: Recife

UF: PE.

País: Brasil

Posição: A 5 milhas da costa, em frente a praia de Boa Viagem, Recife.

Latitude: 08 04. 193' Sul

Longitude: 034 45.196' West

Profund. mínima: 18 metros

Profund. máxima: 25 metros

MOTIVO DO AFUNDAMENTO: Formação de recife artificial

DADOS TÉCNICOS
Nacionalidade: Brasileira
Ano de Fabricação: 1969
Armador: Wilson, sons. (Sobrare Servemar S.A.)
Tipo de embarcação: rebocador
Comp.:26 metrosBoca: 7 metrosDeslocamento: 240 T.
Material do casco: açoPropulsão: motor diesel
Carga: vazio

CONDIÇÕES ATUAIS: Inteiro

 
 
Preparação
O naufrágio do Taurus, assim como o Saveiros e o Mercurius estão ligados ao projeto de formação do Parque de Naufrágios Artificiais no litoral de Recife, PE.
 Os afundamentos foram uma realização da AEMPE - Associação das
 
Empresas de Mergulho do Estado de Pernambuco e contou com a participação das universidades UFRPE (Universidade Federal Rural de Pernambuco), UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) UPE (Universidade de Pernambuco) e UFC (Universidade Federal do Ceará), que estão fazendo o acompanhamento do processo de colonização, ocupação biológica e impacto ambiental.
A empresa Wilson, sons, através de seu representante Sr. Helio Vaisman, doou três rebocadores, Taurus, Saveiros e Mercúrius à AEMPE; arcando também com os custos de preparação, limpeza e logística de reboque das embarcações até os pontos determinados para o afundamento.
Cabe lembrar, que a mesma empresa já havia doado quatro outros rebocadores que também foram afundados em frente ao Recife, são eles; Lupus, Minuano, Servemar X.
Durante a preparação no pier da Wilson,Sons em
Recife, em seqüência Mercurius, Saveiros e Taurus.
 
 
Após cinco meses de apreciação do projeto pelo IBAMA, Marinha do Brasil e CPRH, foram concedidas as autorizações necessárias e no dia 03 de maio de 2006 as três embarcações foram afundadas ao largo do litoral em frente a Recife.

 

Durante as etapas de preparação estive nos rebocadores, onde o amigo José Mário
atenciosamente me explicou os trabalhos de limpeza e preparação.
 

Vista de popa do casario, mostrando a abertura da sala de máquinas.

Vista da cabine de comando.

A popa foi desobistruída e se abriu o compartimento do volante do leme.
 

 
Afundamento
Os três rebocadores foram levados a reboque até as posições predeterminadas e fixados ao fundo por poitas de concreto. Abertas as válvulas, à água rapidamente encheu os porões e o mar atingiu as aberturas feitas no casco, os rebocadores afundaram rapidamente.
O Saveiros e o Taurus foram imediatamente abertos a visitação dos mergulhadores.
Já o Mercurius, idêntico ao Saveiros, permanecerá durante um ano, com a visitação restrita a pesquisadores devidamente autorizados. Esse processo permitirá uma boa comparação do impacto ambiental provocado por mergulhadores; já que são navios iguais, com a mesma data de afundamento, mesma profundidade, distantes apenas em 1 milha.
 

Abertas as válvulas o Taurus afundou
lentamente pela proa.
 

 

Navio do Gás Marte Draga da Massangana Galeão São Paulo Areeiro Vapor de Baixo Pirapama Reboque Chata de Noronha Camaquã Vapor Bahia Descrição
O Taurus encontra-se apoiado sobre a quilha adernada para bombordo cerca de 25º. Ele está em ótimas condições e a primeira coisa que impressiona neste naufrágio é a incrível quantidade de algas que recobrem os destroços.
A proa típica de rebocador possui um cabo de aço e uma corrente pendendo do escovém de bombordo. O cabo e a corrente espalham-se no fundo sem estarem ligados a outras estruturas.
Na proa existem três cabeços de amarração e uma escotilha que liga ao porão de proa, com acesso também pela cabine de proa.

 
 
 
Veja o corte do croqui do Taurus (parte interna) na matéria da biblioteca: Penetrações.
 
A cabine de proa possui uma porta por cada bordo, elas dão acesso a cabine de proa, deste compartimento podemos seguir tanto para o compartimento de máquinas como, subindo para a cabine de comando.
A cabine de comando está totalmente aberta, com uma porta por cada lado e uma abertura que desce a cabine de comando. Atrás da cabine está a estrutura da chaminé, mas totalmente vazia liga-se com a sala de máquinas através de um grande espaço. No final da cabine duas vigias de cada lado e uma pequena porta de serviço à casa de máquinas.
Na popa foram retirados o gato de reboque e toda a cobertura da sala de máquinas, estando esta totalmente desobstruída. Ainda na linha d' água existem duas aberturas no casco, uma em cada bordo, que permitem a passagem de um mergulhador.
 


Visão da proa do Taurus.


Convés de proa.
 
A popa está totalmente limpa, foram deixadas apenas três cabeços de amarração uma escotilha de acesso ao porão.
No espelho de popa foi aberta uma passagem para a sala do volante do leme.
O Hélice em ducto foi deixado no lugar e está virado para bombordo.

A passagem para a cabine de comando foi deixada livre, para o bom acesso dos mergulhadores.
 

A fauna já é muito variada no navio.

Uma das características que chamou a atenção no
Taurus foi a maciça cobertura de algas do primeiro ano. Em outubro de 2007 a cobertura já não existia.
  
Na porão as válvulas de fundo.
A abertura da sala de máquinas até o alto da chaminé.
  


Vista da popa.


O Hélice dentro do ducto que permite a mudança rápida
de direção dos rebocadores.
 
A partir de 16.02.2017 o Tauros está posdicionado a cerca de 20 metros do naufrágio do Virgo, outro ebocador afundado no programa de recifes artificiais de Recife.

 
Nossos agradecimentos aos colaboradores da matéria
 
Agradecimentos a equipe da

 

Sala de máquinas vazia e com passagem até o alto da chaminé