Fujikawa Maru

Chuuk Lagoon

Micronésia - janeiro de 2017
 

Naufrágios de Chuuk Lagoon

Amagisan Maru, Betty Bomber G4M1,Fumitzuki Destroyer, Heain Maru, Hoki Maru, I - 169 Submarino ,
Kensho maru,
Kiyosumi Maru, Nippo Maru, Rio de Janeiro Maru, San Francisco Maru, Sankisan Maru, Shinkoku Maru, Yamagiri Maru

Outros naufrágios de Chuuk Lagoon

 
Histórico

Este paquete misto de carga e passageiros foi construído para a empresa Toyo Kaiun Kisen Kaisha sediada em Tóquio, proprietários de navios a vapor desde 1898 e foi batizado como Fujikawa ("Rio da montanha" - Maru - cargueiro). Ele realizava regularmente rotas do Japão para Nova York e Sul da China com diversas escalas.
Em dezembro de 1940, a marinha japonesa toma posse da embarcação, que é convertida em navio de apoio as aeronaves e incorporado na 11º frota. Durante as reformas foram incluídos canhões ingleses de 150 mm na proa e na popa.
O paquete participou, como embarcação de apoio, da batalha de Midway e de operações nas Ilhas Aleutas, Rabaul (Nova Guiné), Tarawa (atual república de Kiribati - Pacífico sul) e Ilhas Marshall.
 

Em setembro de 1943 foi atingido por um torpedo do submarino americano Permit, retornando ao Japão para reparos. Em dezembro de 1943 foi atingido por aviões torpedeiros do USS Yorktown também necessitando de reparos.

 
Dimensões: 133.2 x 17.7 x 10 metros - Tonelagem bruta: 6.938 toneladas
Construção: abril de 1938, Mitsubishi Jukoqyo - Tipo: paquete misto
Máquinas: diesel, com 839 n.h.p. uma hélice, 16 nós
Armamento: 2 canhões de 150 mm na proa e popa
 

O Ataque

O Cargueiro chegou em Chuuk Lagoon, com quarenta tripulantes e uma carga de trinta bombardeiros B5N2 - "Jill" e Mitsubishi A6M "Zero", que estavam sendo montados e descarregados na base aérea da ilha de Eten, como uma das medidas para reforçar as defesas do atol na expectativa de uma invasão americana.
Quando a operação Hainstone começou os primeiros ataques pegaram o navio ainda na atividade de descarga.
Ancorado o Fujikawa Maru foi atingido no dia 17 por sucessivas bombas de 500 e 1000 libras dos aviões do USS Essex e dois torpedos dos aviões do USS Monterey que, entre outros danos, lhe abriram um grande rombo no costado de boreste na altura do porão nº 4, o navio fez água e acabou por afundar as 7:30 horas do dia 18.

 
Fujikawa Maru no primeiro dia de ataque
 

Mapas segundo Daniel E. Bailey - World War II Wrecks of Truk Lagoon,
2000 North Valley Diver Publication
 

 

Mergulho - Profundidade: de 09 a 34 metros

Considerado como um dos mais bonitos e populares naufrágios de Chuuk Lagoon o Fujikawa Maru encontra-se em posição de navegação, apoiado sobre a quilha, com sua estrutura inteira e o casario parcialmente íntegro. Nos últimos anos a seção sobre a casa de máquinas onde estava a chaminé desmoronou. No casco de bombordo, entre o casario e o porão número nº 4 (1º da popa), um pouco abaixo da linha de navegação está o grande rombo provocado pelo impacto de um dos torpedo que o atingiu e provocou seu afundamento.
No bico de proa existe um telégrafo de máquinas, que tinha a função de auxiliar nas manobras de ancoragem. Atrás do guincho de âncora, na plataforma de proa, ainda apontando para a frente, está o canhão de 150 mm (Elswick Ordinance Co, cedidos ao Japão pela Inglaterra durante a guerra sino-japonesa de 1895).
Por todo o navio encontram-se garrafas, máscaras contra gases, muitos cartuchos de 7 mm e outros artefatos retirados do interior pelos mergulhadores.

Fujikawa Maru
Dimensões: 133.2 / 6.938 toneladas
Construção: abril de 1938,

Afundamento - 18.02.1944

 

 

Croqui do Capt. Lance Higgs S.S. Thorfinn - modificado
 
Telégrafo de máquinas no bico de proa
Canhão inglês de 150 mm Elswick Ordinance Co, posicionados nas plataformas de proa (foto) e popa
 
No porão nº 1 são encontrados toneis de combustível de avião, muito comuns nos naufrágios de Chuuk Lagoon, cartuchos de canhão e hélices, motores e tanques de combustível de avião.
O porão nº 2 de proa é o ponto mais especial do navio. Ele pode ser atingido pela estiva superior, porém a passagem do primeiro para o segundo porão é muito simples de ser feita. No fundo do porão, ainda estão quatro aviões, caças Zero e bombardeiros Jill, um deles praticamente inteiro e outros em partes; fuselagens, seções laterais e peças como tanques, trens de pouso, motores e hélices. No fundo do porão existem mais toneis de 200 litros de combustível.
 
Entrada (estiva) do porão nº 2
Muitos toneis de 200 litros de combustível
Tanques de combustível dos aviões espalham-se pelo porão
 
Passagem entre os porões nº 1 e nº 2

Cabine com o manche e asa de um dos caças A6M "Zero"

     
Mitsubishi A6M "Zero"
O manche de comando ainda se movimenta. Por todo o navio muitas máscaras de gás e munição
 
Bombardeiros B5N2 - "Jill"
Cabine e cauda de um dos bombardeiros B5N2 "Jill". No leme de cauda ainda se lê o número da aeronave
 
Matéria do pesquisador Nestor Magalhães sobre esses aviões Jill e Zero
 
Faça seu Curso de Mergulho em Naufrágio com quem se dedica a atividade

Treine seus olhos e aproveite muito mais seus mergulhos


Instrutor: Maurício Carvalho - 30 anos de experiência - Especialidade levada a sério!
 
O porão nº 3 também apresenta grande quantidade de tonéis de combustível.
Na superestrutura estão banheiros, cozinha, a ponte de comando e diversas salas, porém, sua estrutura já se apresenta em colapso, não havendo mais a chaminé e cachimbos de ventilação. No meio do navio existe dois bons acessos a sala de máquinas, por uma claraboia atrás da chaminé e pelo rombo do torpedo no costado a bombordo.
Nos porões nº 4 e nº 6 estão espalhadas pelo fundo muitas garrafas e louça chinesa. O porão nº 5 está vazio.
A popa também possui um canhão de 150 mm e uma belo telégrafo de máquinas de manobra. No fundo está o hélice único e o leme.
 
Turcos no bordo do navio
O banheiro dos oficiais, com as tradicionais banheiras japonesas
 

No convés de muitos dos navios, existem pequenas placas
em homenagem aos mortos no naufrágio

Como em todos os naufrágios de Chuuk a quantidade
de garrafas de cerveja e saque é enorme,
"impressiona !"
Por todo o convés peças do naufrágio indicam o grande
esforço de guerra japonês
 

Cardumes passam o tempo todo pelos navios e navegar pela borda do costado oferece surpresas como tubarões e cardumes de peixes de passagem

Canhão de popa de difícil reconhecimento tamanha
a quantidade de organismos colonizadores
Os mastros do navio estão completamente colonizados com
esponjas, corais e principalmente gorgônias enormes
 
A fauna
O Fujikawa Maru é um dos naufrágios mais colonizados e biodiversos de Chuuk Lagoon. A distribuição das espécies de peixes e corais e esponjas parece estar fortemente associada a localização do naufrágio dentro do atol, já que as correntes marinhas mais fortes praticamente não existem, diferenças em relação a circulação da água no coral parece causar uma variação principalmente em relação aos tipos de espécies presentes.
Alguns organismos estão em praticamente todos os naufrágios, mas a intensidade de sua colonização muda de navio para navio.
 
Gorgônias de todas as cores colonizam o naufrágio,
mas principalmente os mastros
Em todos os navios existe uma grande variedade de peixes palhaço com diferentes tipos de anêmonas
 

 

Volta a página de Chuuk Lagoon

Living aboard Odyssey
 
s