Nippo Maru

Chuuk Lagoon

Micronésia - janeiro de 2017
 

Naufrágios de Chuuk Lagoon

Amagisan Maru, Betty Bomber G4M1, Fujikawa Maru , Fumitzuki Destroyer, Heain Maru, Hoki Maru, I - 169 Submarino ,
Kensho maru,
Kiyosumi Maru,Rio de Janeiro Maru, San Francisco Maru, Sankisan Maru, Shinkoku Maru, Yamagiri Maru

Outros naufrágios de Chuuk Lagoon

 
Histórico
O Nippo Maru foi construído em 1936 para a empresa Okazaki Honten Steamship Co. Ltd. Ele era um cargueiro típico de três castelos que servia regularmente ao transporte de bananas entre Taiwan e o Japão.
Em 1941, a marinha japonesa requisitou o navio para o transporte de água para abastecimento de suas ilhas no Pacífico e cumprir essa função foram instalados em seus porões tanques de água.
Em 1942 o navio foi incorporado a 6ª Força naval japonesa e fez diversas viagens entre as ilhas de Jaluit (Ilhas Marshall), Ponape (atual Pohnpei - Miconésia), Kusiae (Micronésia), Saipan (maior das Ilhas Marianas) e Kwajalein (Ilhas Marshall).


Dimensões: 117 x 11.5 X 11 metros
Tonelagem bruta: 5.831 toneladas
Construção: abril de 1919, Kawasaki Dockyard Co. Ltd., Kobe
Tipo: cargueiro de três castelos - classe Taifuku Maru
Máquinas: 1 vapor tripla expansão, 440 n.h.p. 1 hélice, 11 nós
Armamento: 1 canhões de 75 mm na proa
 

 

 

O Ataque

Estacionado em Chuuk transportava água da ilha de Dublon para as instalações militares nas ilhas periféricas do atol onde a água doce era escassa. Além disso, realizava abastecimento geral transportando no período do ataque munição, caminhões e tanques que deveriam suprir as ilhas para resistir, segundo os japoneses, a uma invasão americana eminente.
Em 10 de fevereiro de 1944 chegou a Chuuk Lagoon. Em 17 de fevereiro o Nippo Maru estava ancorado no extremo norte da ilha de Dublon, quando foi atacado por aviões TBF Avenger do porta aviões Essex, sendo atingido por uma salva de três bombas de 500 libras, que o acertaram no convés de popa, causando danos pesados e um forte incêndio, que acabou por provocar o naufrágio duas horas depois do impacto.
O naufrágio foi localizado em 1969 pela expedição do oceanógrafo francês Jacques Cousteau na posição de latitude 7° 22' 57.3" norte e longitude 151° 54' 37.0" leste (datun WGS84).

 

A lateral de boreste da cabine de comando
vista da lanterna de sinalização de boreste
Mapas segundo Daniel E. Bailey - World War II Wrecks of Truk Lagoon,
2000 North Valley Diver Publication
 

 

Mergulho - Profundidade: de 24 a 43 metros

Esta assentado sobre a quilha adernado em 45° para bombordo de sua posição de navegação. A superestrutura encontra a 27 metros, o convés está a 36 metros com o fundo a 47 metros.
Na proa está um grande guincho e a plataforma do canhão, porém este não existe mais.
Na altura do porão 1 há a bombordo um chassi de caminhão com rodas e motor pendurado na murada e outro caído no fundo. No interior do porão 1 existem minas, detonadores, granadas de artilharia, tanques de água, máscaras de gás, tambores de óleo e substâncias cáusticas além de muitos artefatos (cartuchos, detonadores, munições de rifle).
Caídas no fundo a bombordo existem duas metralhadoras antiaéreas e outra a frente do casario a boreste.


San Francisco Maru
Medidas - 107 metros /3.764 toneladas
Construção - abril de 1936
Afundamento - 17.02.1944

 

 

Croqui do Capt. Lance Higgs S.S. Thorfinn - modificado
 
Entre os porões 1 e 2 na primeira estiva existem um grande telêmetro de bronze que era utilizado para realizar a mira dos canhões. No convés de bombordo ao lado da estiva do porão 2 está um tanque tipo 97 - Chi-Ha.
Dentro do castelo de comando objetos pessoais da tripulação, o que restou do leme e o telégrafo de máquinas em posições invertidas.
No convés de boreste, atrás do casario e ao lado da estiva 4 existem 3 canhões Howitzer anti tanque. A chaminé desabou para bombordo e atrás dela está a gaiuta que dá acesso a sala de máquinas.
No interior do porão 4 existem centenas de garrafas de cerveja e saque, equipamentos de rádio. Na popa há munição para armas de 5 polegadas.
No lado de boreste da estiva 5 estão dois canhões de 120 mm. e uma grande âncora de reposição.
     
Projéteis de canhão no primeiro porão
 
Grande quantidade de cartuchos para a munição do canhão de proa
 
Faça seu Curso de Mergulho em Naufrágio com quem se dedica a atividade

Se você pensa que naufrágios são um monte de ferro velho talvez o problema tenha solução
!

Instrutor: Maurício Carvalho - 30 anos de experiência - Especialidade levada a sério
!
 
 
Embora os gases venenosos não tenham sido amplamente utilizados na Segunda Grande Guerra como foram na Primeira, mascará contra gases estão presentes em grande quantidade em todos os naufrágios de Chuuk
 
Entre o primeiro e o segundo porão existem um telêmetro,
equipamento utilizado para garantir a mira precisa para os tiros dos canhões
 
Turcos dos escaleres de boreste mostrando
a inclinação do navio
Cabine de comando com o telégrafo de máquinas e o timão.
O aro de bronze permanece embora a madeira
já tenha sucumbido
Metralhadoras antiaéreas caídas junto ao casario,
protegiam a cabine de comando
 
Tanque tipo 97 (Chi-Ha) no convés de bombordo
ao lado da estiva do porão 2
Peso: 15 toneladas,
Motor: Mitsubishi diesel V 12. refrig. a ar
Velocidade: 24 m.p.h. Blindagem: de 0,31 a 1,0 pol.
Armamento: 1 canhão (57 mm) e 2 metralhadoras (7.7 mm)
Tripulação: 4 homens
Chassi de caminhão preso a murada de bombordo


Três canhões anti tanque de 47 mm, estão posicionados a boreste
do lado da estiva do porão 4 logo atrás do casario

 

Volta a página de Chuuk Lagoon

Living aboard Odyssey
 
s